Imprimir Notícias

Fábrica em SP se especializa em refeições congeladas para hospitais - Postada em 11-05-2012 às 06:29:31



São feitas refeições de 150 tipos diferentes. Com mais de 60 clientes, empresa fatura mais de R$ 2,5 milhões por ano.

 

 

O mercado de alimentos congelados reúne quase 700 indústrias no país. E mais de 90% delas são pequenas empresas. É o caso de uma fábrica, no interior de São Paulo, que se especializou na produção de refeições congeladas para hospitais.

 

Os empresários Jânio Lerário e Eleonora Bassi comandam a fábrica, que ocupa uma área de 1,2 mil metros quadrados. São feitas refeições de 150 tipos diferentes.

 

A empresa está no ramo de congelados há mais de 20 anos. Hoje, já tem mais de 60 clientes na capital paulista e no interior de São Paulo. E fatura mais de R$ 2,5 milhões por ano.

 

No cardápio estão massas, arroz, feijão, legumes, carne branca e vermelha, com vários molhos. Há 3 anos, os empresários apostaram na linha exclusiva para hospitais. E se diferenciaram dos concorrentes.

 

“Na época, a nossa nutricionista tinha uma boa experiência na área hospitalar, era responsável técnica inclusive por outras duas cozinhas hospitalares, e falou ‘Nora, vamos, vamos, que não é tão difícil assim’, e começamos”, disse Eleonora.

 

A empresa cresceu e contratou mais gente. Hoje, 28 funcionários trabalham na linha de produção. São preparadas cerca de 2 mil refeições por dia. Só da linha hospitalar são 1,2 mil. E para tudo isso, é preciso ter organização.

 

“Os nossos nutricionistas entram em contato com a nutricionista do hospital. Elaboram o cardápio, e desse cardápio elaboram fichas que são passadas para as moças, então todos os dias nós temos pratos diferentes. E para não ter erro, cada prato tem a sua ficha”, explica Lerário.

 

Cada refeição pesa 450 gramas. Os alimentos são colocados em embalagens plásticas e ficam nas câmaras de congelamento, a uma temperatura de 20 graus negativos. Depois, recebem tampas e são vedadas. Só no final o produto é etiquetado, com valor nutricional e data de validade.

 

O carro-chefe da empresa são as refeições para dietas. As hipossódicas, que têm apenas um grama de sal por porção, e as assódicas, totalmente sem sal.

“Nós já temos uma linha definida de produtos, dieta geral hipossódica para diabéticos, e alguma necessidade de dieta específica a gente elabora para o cliente”, afirma a nutricionista Michele Beer Schwartz.

 

'Praticidade'
Um hospital é cliente da fábrica de congelados, há 2 anos. “A gente optou pelas refeições congeladas, pela praticidade, em primeiro lugar. Pelo desperdício, a gente não tem desperdício. Por ser um hospital cirúrgico, hospital dia, então a gente sabe, só descongela, e serve só o que for solicitado”, explica Danielle Totino, nutricionista do hospital.

 

O cardápio do hospital inclui 9 tipos de pratos. Bastam alguns minutos no micro-ondas e a refeição está pronta para servir. “Eu achei essa refeição muito saborosa, ela não tem nenhum aspecto de congelado, nem parece realmente alimentação de hospital”, revela a paciente Lilian Santos Tonelo.

 

O mercado de Alimentação faturou no ano passado R$ 390 bilhões, segundo a Associação Brasileira de Indústrias de Alimentos. Só o setor de congelados teve um faturamento de R$ 7 bilhões, um crescimento de mais de 5% nas vendas.

 

Os empresários também têm loja própria de alimentos congelados. Cada prato custa, em média, R$ 15 reais. “Aqui na loja são vendidas cerca de 60 refeições por dia. Um dos pratos preferidos é o strogonoff. Mas além desse tem mais de 20 opções”, diz Valdeci Gonçalves Pereira, balconista da loja.


“Para a gente que trabalha no dia a dia é bem mais prático, porque é só pegar, colocar no micro-ondas e está pronto”, diz Taynara Ramos.

Lerário espera um aumento nas vendas este ano. E tem novos planos. “Eu quero crescer em dois anos 30%. É a minha meta. E agora nós estamos com um novo projeto de salgados, mas ainda é uma coisa que nós vamos falar mais para frente”, diz.

 

CLIQUE AQUI para ver o vídeo!

 

 

Fonte: Site do Instituto ITPC (Nossas notícias)

 

_______________________________________________

 

Muitas empresas no setor de Panificação e Confeitaria têm investido em centrais de produção para atender, além de suas lojas, outros pontos de vendas (PDV) e também outros segmentos como hospitais e escolas. O Instituto ITPC pode auxiliar a sua empresa a investir em uma central de produção. Entre em contato pelo e-mail: itpc@institutoitpc.org.br para mais informações. 

 

Recomendar para amigo

Últimas matérias Data
Curso de Transferência de Tecnologia para Padeiros e Confeiteiro 11-04-2014 às 15:11:17
II Seminário Alemão com Foco na Melhoria da Qualidade do Pão Brasileiro 24-03-2014 às 14:57:07
Seminários em MG 05-03-2014 às 16:00:12
Fennopan 2014 05-03-2014 às 15:35:29
Formando equipes de alta performance 05-03-2014 às 14:29:56
Faturamento de padarias e confeitarias brasileiras cresceu 8,7% em 2013 05-03-2014 às 14:03:37
Seminário Gestão de Cafeteria, promovido em Brasília, conta com palestra da Fleischmann 21-02-2014 às 09:09:35
Propan capacita Núcleo de Panificação e Confeitaria 18-02-2014 às 16:06:42
Pão da Serra recebe prêmio Baker Top 2013 04-12-2013 às 11:56:36
Curso Intensivo Metodologia Propan é realizado em Belo Horizonte/MG 04-12-2013 às 11:11:49
Próxima  >> [1]   2  3  4  5  6  7  8  9  10 

Tamanho da fonte:



Pesquisa Virtual

O que chama a sua atenção nas feiras do setor?

Palestras

Oficinas

Clínicas tecnológicas

Visitas técnicas

Debates

Votar | Ver resultados


Destaques